Pages

2 de abr de 2011

Giant Robo (Robô Gigante)























Captain Ultra foi exibido pela TBS. Akakage pela TV Fuji. Mas a emissora com a qual a Toei mais se identificaria não seria nenhuma das duas, e sim a TV Asahi, que hoje exibe os sentai e kamen riders, que exibiu os Metal Heroes, Kikaider e Robocon, e que, quando a Toei estava começando, exibiu Nanairo Kamen e National Kid.

Talvez, portanto, a TV Asahi (que, antes de 1977, se chamava NET) tenha ficado com ciúmes ao ver que a Toei escolhera a TV Fuji para seu retorno, ou talvez, baseada no fracasso das duas primeiras séries, tenha decidido não apostar na série do ninja e depois, ao ver o sucesso das duas seguintes, se arrependeu, mas o fato é que, enquanto Akakage e Captain Ultra estavam no ar, a TV Asahi procurou a Toei com uma proposta. Eu adoraria noticiar aqui o fato bizarro de que a Toei, então, no ano de sua volta, teve três tokusatsu no ar em três canais diferentes ao mesmo tempo, mas, infelizmente, não foi isso o que aconteceu. Mas foi por pouco.

A proposta da Asahi era um contrato de exclusividade. A Toei, entretanto, se sentindo capaz de produzir mais de uma série ao mesmo tempo, recusou educadamente, mas se comprometeu a produzir uma série para estrear na Asahi ainda em 1967. Essa série seria Giant Robo, ou, em bom português, o Robô Gigante.

A Toei deixou a tarefa de criar a série que produziria para a Asahi a cargo de Mitsuteru Yokoyama, que também era escritor de manga, e já havia criado o famoso Tetsujin 28-go (o "homem de ferro número 28", conhecido como Gigantor nos Estados Unidos), considerado o primeiro manga/anime de robô gigante do Japão, que influenciaria todos os robôs gigantes subsequentes - o que, na cultura pop japonesa, não é pouca coisa. Talvez não querendo se desviar muito do sucesso, Yokoyama decidiu investir em um novo robô gigante; para saber se isso ainda funcionava, antes de entregar os roteiros à Toei, ele lançou Giant Robo em manga, na revista Weekly Shonen Sunday.

Assim, bizarramente, Giant Robo era baseado em um manga que não existia antes de ele ser inventado. Ainda por cima, em determinado momento, o tokusatsu ficou completamente diferente do manga, com a história de cada um seguindo em uma direção.

Os vilões de Giant Robo são uma organização terrorista conhecida como Big Fire, liderada pelo Imperador Guillotine, um alienígena azulado com uma barba de tentáculos, que comanda a organização de sua nave espacial, escondida no fundo do Oceano Pacífico (qualquer semelhança com Cthulhu é, aparentemente, coincidência). Guillotine possui um exército de guerrilheiros que parecem saídos de todas as organizações do mundo, e é auxiliado diretamente pelo humano Spider; o cientista alienígena de pele prateada Dr. Over; o monstro Red Cobra, de cabeça enorme e presas protuberantes; a ladra Black Dia, obcecada por cartas de baralho; e Mr. Gold, um cavaleiro medieval vestido em uma armadura de ouro. O objetivo desse tão estranho grupo, evidentemente, é dominar o mundo, e, para isso, eles sequestram os mais brilhantes cientistas da Terra e os obrigam a criar monstros e robôs gigantescos, que espalharão a destruição pelas principais cidades do planeta.

Para tentar deter a Big Fire, os governos da Terra criam uma organização ultrassecreta de defesa da paz conhecida como Unicorn. No primeiro episódio, o agente da Unicorn Juro Minami e o menino Daisaku Kusama, de onze anos, naufragam em uma ilha suspeita após um ataque da Big Fire ao navio em que viajavam. Lá, eles são capturados pelos terroristas e levados a uma instalação secreta, onde cientistas constroem um robô gigante para a organização. Um dos cientistas, Dr. Lucius Guardian, decide ajudar a dupla a escapar, e dá a Daisaku o controle do robô - que só obedecerá àquele cuja voz for gravada em primeiro lugar em seu cérebro eletrônico. Promovido a agente da Unicorn, Daisaku passa a utilizar o robô para combater os monstros gigantes da Big Fire, além de participar de missões contra os terroristas na companhia de Minami e de sua amiguinha Mari Hanamura, que, apesar de ter apenas nove anos, fala 39 idiomas.

O Robô Gigante é praticamente indestrutível, e conta com um arsenal invejável, que inclui mísseis que saem de seus dedos, um míssil gigante que sai de suas costas, raios de energia disparados pelos olhos, uma espécie de aríete embutido no peito, um gancho no cinto, um lança-chamas na boca e cabos que podem ser lançados para eletrocutar os monstros, além de ser capaz de utilizar a técnica secreta Burning Cross, que dispara uma cruz flamejante na direção do oponente. O Robô obedece apenas a Daisaku, que deve controlá-lo com comandos de voz durante toda a luta, e é equipado com um dispositivo de segurança, caso Daisaku seja capturado e forçado a lhe dar ordens contra sua vontade: falando uma frase secreta, que não faz o menor sentido e deve ser dita sob a alegação de que é um teste de comunicação, Daisaku ativa o Modo Resgate, que faz com que o Robô vá imediatamente até a localização do transmissor, ignorando qualquer ordem até que o menino esteja em segurança.

Giant Robo teve 26 episódios, exibidos entre outubro de 1967 e abril de 1968 - um mês depois da última edição do manga ir às bancas. Curiosamente, ele estreou dez dias após Ultra Seven, o que fez com que a Toei, desde a estreia de Akakage até o final de Giant Robo, só não tivesse dois seriados no ar em dois canais diferentes ao mesmo tempo durante duas semanas.

A série seria exibida nos Estados Unidos, com o nome de Johnny Sokko and His Flying Robot, a partir de 1969, primeiro no canal American International Television e depois em sistema de syndication, permanecendo no ar até meados da década de 1980. Curiosamente, o seriado era muito mais violento do que qualquer outra coisa produzida para crianças na América - o uso de armas de fogo, até por parte de Daisaku e Mari, que, aliás, era uma especialista no assunto, era comum, assim como execuções à queima-roupa e o uso de homens-bomba pela Big Fire - mas, mesmo assim, não chegou a ser editado, sendo exibido na íntegra. O máximo que eles fizeram foi mudar os nomes dos personagens: Daisaku virou o Johnny Sokko do título, Minami virou Jerry Mano, Mari se tornou Mary Hanson, e a Big Fire passou a se chamar Gargoyle Gang, com seus membros Dr. Over, Red Cobra, Black Dia e Mr. Gold sendo rebatizados, respectivamente, para Dr. Botanus, Fangar, Harlequin e Golden Knight. Em 1970, alguns episódios da série foram editados e compilados para se tornar o filme Voyage into Space, que hoje conta nos Estados Unidos com status de cult.

Assim como outros heróis clássicos do tokusatsu, Giant Robo contou com um revival recentemente, que começou com a OVA (série de animação lançada diretamente em vídeo) Giant Robo: Chikyuu ga Seishi Suru Hi ("Robô Gigante: O Dia em que a Terra Parou"), ambientada em um futuro distópico no qual não há mais petróleo, no qual a IPO (International Police Organization), com a ajuda de Daisaku e de seu robô gigante, construído por seu pai, combate uma organização terrorista conhecida como BF Group (esse BF sendo, provavelmente, de Big Fire), que planeja destruir a humanidade para ficar com o planeta só para eles. A série teve sete episódios, lançados anualmente entre 1992 e 1998; foi produzida pelo estúdio Mu e escrita por Yasuhiro Imagawa, também responsável por Mobile Fighter G Gundam e pelo remake de Tetsujin 28-go

Imagawa retornaria ao Robô Gigante em setembro de 2006, ao escrever o manga Giant Robo: Chikyuu no Moetsukiru Hi ("Robô Gigante: O Dia em que a Terra Queimou"), ambientado no mesmo universo da OVA, mas em uma continuidade diferente. Esse manga é publicado até hoje, na revista Champion Red. Finalmente, em 2007, em comemoração aos 40 anos do lançamento do manga original de Giant Robo, o estúdio ACGT lançaria o anime GR: Giant Robo, uma "re-imaginação" da série original. Ambientado no final do século XXI, quando a Terra está assolada por uma guerra entre robôs gigantes, a série acompanha Daisaku, que encontra um desses robôs por acaso, se torna misteriosamente capaz de controlá-lo, e passa a utilizá-lo para combater os robôs maus. O anime teve 13 episódios, e foi adaptado ainda em 2007 para um manga de um único volume.

Nenhum comentário:

Postar um comentário