Pages

3 de nov de 2012

O Oriente Macabro...

Podem me descer a lenha, me xingar, que eu não arredo o pé da opinião que eu acho melhor as de terror orientais do que as de outras origens. Isso se deve a eu ser uma esponja para esse tipo de história, além de odia blockbusters que entpoem as video locadoras, mas sinceramente as histórias são muito do meu gosto. Apesar de adorar Edgar Allan Poe, Arthur Conan Doyle, entre outros, os enredos me preendem.
Mas como diria Jack, o Estripador "vamos por partes..."

-Ai que meda!
Mesmo os japoneses sendo um povo altamente tecnológico em vários aspectos, eles possuem um pé fixo em suas tradições milenares. Isso inclui a religião. E isso lembra a fé católica. Afinal, um dos centros de assombração aqui no país são os cemitérios. Lembrando que não existem tantas histórias sobre de cultura que não enterram ou conservam seus corpos, quase sempre os cremando ou se livrando deles de outro modo (como a cultura germânica). Enfim, esse é um filão para lendas macabras.
Esse é um dos fatores que muitos autores utilizam nas obras, em qualquer país. Mas foquemos no oriente.
O Japão foi um dos países, que até hoje, foi afetado em diversos pontos pela Segunda Guerra Mundial. Tanto de uma de suas maiores obras de ficção científica, que conhecemos por Godzilla, é produto de radiação nos mares nipônicos. Mas o que influenciou o terror dessa nação nesse fator foram as terríveis mortes nos campos de batalhas, e por que não, das que ocorreram em Hiroshima e Nagasaki. Quantos autores não foram influenciados criando monstros baseados nessa terrível guerra? Cito meu autor favorito de obras literárias, J.R.R. Tolkien, como exemplo maximo.
Até agora, vimos que a religião e um passado sofrido são parte da força do terror oriental. Mas agora vamos adentrar outro ponto, talvez o mais importante desse gênero até hoje.

-"Humanos temem o que não entendem."
Xenofobia sf. Aversão a pessoa e coisas estrangeiras. É o que achei em um dicionário falando sobre essa palavra, mas acredito que seja bem mais que isso. Xenofobia seria o medo de coisas desconhecidas, ou até criaturas desconhecidas. E esse fator é o maior nas histórias de terror.
Acha que não? Veja:
Obras como Ringu (O Chamado) ou Ju-On (O Grito) bebem disso. Mesmo sabendo de onde veem as criaturas dessas obras (mortes trágicas quase sempre) é como se elas ditassem as regras do jogo. Não há como vencer, no máximo se livrar deles. E isso cria a sensação de impotência, beirando a loucura. Quem vê ou lê uma obra desse gênero sempre nota fatos bizarros como o de Uzumaki, onde não existem fantasmas, e sim - pasmem - espirais aterrorizand uma cidade como uma maldição. Mas não há certeza nem sobre isso! E nós, como humanos, seguindo uma linha "Dana Sacully" de pensar, precisamos criar certezas sobre alguns fatos com a finalidade de mantermos a sanidade.
A verdade é que algumas pessoas se excitam com terror, tanto quanto o fazem com uma montanha russa. É uma diversão em um ambiente controlado (Tá... Nem sempre). Ou será por outro motivo... Desconhecido?

Nenhum comentário:

Postar um comentário