Pages

17 de jan de 2011

Blood, The Last Vampire




Blood: The Last Vampire é uma história sobre uma colegial japonesa que caça vampiros armada com uma katana, sob comando de uma agência secreta do governo. Precisa dizer mais alguma coisa? Oh, bem, então tá... Foi também um mega-projeto multi-mídia, que tentava contar uma história através de vários meios diferentes. Assim, foi lançado um filme de animação em 2000, seguido de séries de TV, videogames e romances em prosa, bem como essa edição em quadrinhos lançada aqui pela Panini; mais recentemente, foi anunciado também um filme em live-action da série, ainda em produção.

De todos esses, tive contato com apenas dois lançamentos - o filme de animação, que consegui em VHS através de um fansubber, em uma época anterior aos torrents e à banda larga, em que era virtualmente inviável para qualquer um com um mínimo de vida social baixar um filme inteiro pela internet; e, agora, o mangá. É evidente, portanto, que não posso ter a visão de alguém que acompanhou a série toda - mas acho que não preciso, já que a edição contém uma história fechada, que pode ser bem compreendida mesmo por quem não conhece as outras versões, apesar de uma ou outra referência menor a elas.

E é, sim, uma boa história. Sangrenta e pesada, é bem verdade, do tipo que não é recomendada para menores de idade e pessoas de estômago fraco, mas que não ostenta gratuitamente estas características; elas retratam bem os vampiros como os monstros que são, ao menos no universo onde se passa a história, e servem também de boa metáfora para a degradação e apatia por que passa uma das personagens. E para além disso, tem também algumas reviravoltas e surpresas, especialmente para aqueles que conhecem um pouco mais da série; e bastante ação e membros decepados, para fã de terror trash nenhum botar defeito, do jeito que só os quadrinhos japoneses sabem fazer. É uma boa recomendação, portanto, pelo menos para quem gosta do gênero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário