Pages

16 de abr de 2013

Animações e Animes: os caminhos da arte audio-visual com desenhos

Desculpem o sumiço mas estive meio ocupado ultimamente.
Bem, como primeiro tópico depois de tanto tempo sem postar eu trato de um assunto que todos devem ter consciência OU talvez não. É em relação aos animes e animações americanas.
Tratamos uma animação como um projeto audio-visual que exibe desenhos, propriamente dizendo, que podem ser feitos por frames, flash, tecnologia 3D, flipbooks, animação quadro-por-quadro ou até mesmo via milagre! Não importa a forma, importa a animação dos desenhos, ou seja sua movimentação dentro do meio em que se esta vendo ela.
O anime, nada mais é, do que um termo usado para qualquer animação de origem nipônica. Lembrando um fato importante é que assim como o mangá, que é uma história em quadrinhos de origem japonesa, não existe mangá de outros países. Você vai ver propagandas em muitos lugares fazendo referência a "parece até mangá" ou "anime made in USA" mas isso não existe!
As animações, em especial as norte americanas, tem em sua história um currículo de seguirem padrões das HQs americanas (assim como os animes que seguem os mangás). O que causa o fenômeno de enredos e personagens possuírem anos sem nunca acabar. O que de certa forma é bom para a editora, pois se o quadrinho acaba, não há mais utilidade (pelo menos por certo tempo) para os funcionários. O problema se deve a coisas como Peter Parker, que possui o alter-ego de Homem Aranha ter 30 anos. O que é esstranho, já que o personagem nasceu, pelo que me recordo nos anos 70! E isso ocorre também com personagens de desenhos americanos. Veja só o exemplo desse tal Ben 10. O personagem possui 3 séries até agora. Uma em que é criança, outra em que é adolescente e mais uma em que volta a ser criança.
Por que isso ocorre? Tem haver com as editoras ou produtoras ganharem em cima disso? Lógico! A quantidade de badulaques que editoras famosas como DC e Marvel, ou que o pessoal que produz animações, vende em cima disso é gigantesco. Lembrando, que nesse ponto, os americanos não são tão diferentes dos japoneses. Ou vai me disser que você leitor do blog não estava buscando algo sobre mangá quando entrou aqui?
Mas existem luzes no fim desse túnel: lógico que há sim uma preocupação em vender, mas alguns estúdios, como o de Avatar: A lenda de Aang e A lenda de Korra, possuem uma qualidade tremenda que sinceramente... Em alguns pontos supera a japonesa. E outras animações como Young Justice também possuem bom enredo atrelado a um ótimo trabalho de desenhos. Concluo falando que, se você fã de mangá odeia animações americanas ou até mesmo brasileiras (pois somos fortes nesse quesito), tente ver que o mercado japonês as vezes cria coisas maravilhosas. Só que isso não uma verdade absoluta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário