Pages

31 de dez de 2012

A dublagem brasileira

As músicas que mais gosto de j-rock e j-pop são sempre aquelas que me lembram aberturas de animes. Mas devo confessar que uma das primeira músicas que aprendi foi Geração dos Sonhos (Daydream Generation) encerramento de YuYu Hakushô na extinta TV Manchete. Mas ai vem a ideia de muitos fãs puristas, falando sobre como a dublagem brasileira é ruim. Eu discordo dessa opinião.
É fato que os seyuus (dubladores no Japão) são cultuados como ídolos por lá, só que isso é só uma parte do motivos para queremos ouvir os sons em seu audio original. A competência que os dubladores possuem em animes e e CDs dramas é demais. É só notar que certos personagens masculinos são dublados por mulheres, assim como Edward Elric de Full Metal Alchemist, e poucos notam isso de primeira.
Agora, qual motivo de falar das dublagens? Os brasileiros tem sim pessoas competentes! A prova disso é a comparação com outros países. Um exemplo são os dubladores do México, Espanha e Estados Unidos. Me lembro quando vi um episódio de Los Caballeros del Zodiaco, sinceramente muito ruim. É necessária uma boa coordenação entre a fala dos personagens e a ação deles.
Além disso, temos que nos lembrar de Yuyu Hakushô. Todas as vozes combinaram muito bem no anime, mesmo que alguns mais ortodoxos não gostem. O que me fez gostar dele foi o humor. Ainda me lembro dos gritos de personagens como "Ah eu sou Toguro!", "Que se dane o mundo que não me chamo Raimundo!" ou "Yukinaaaaaa!", que me fizeram deitar de tanto rir. As piadas fizeram sentido por dois motivos:
-dubladores como Marco Ribeiro (Yusuke Urameshi) faziam uma boa interpretação do personagem, convertendo as ações para o nosso território tupiniquim;
-o trabalho feito com relação as piadas foi maravilhoso, afinal, nosso tipo de humor não é igual ao deles. Ainda me lembro de um episódio de Pokemon em que Ash se veste como uma vaca... Não fez nenhum sentido para mim. Mas ai surge o problema da dublagem.
Quando uma equipe de dublagem ou legenda se preocupa com uma boa adaptação de uma obra, ela precisa trabalhar com maneirismos, gírias e jargões de uma cultura, que são influenciados por uma sociedade, religião e costumes. Isso sem contar questões de tempo como no caso de um anime antigo em que não existiam determinados aparelhos eletrônicos.
Um fato mais concreto, seria imaginar que uma obra de mangá ou anime de 2000 fale sobre "o maior terremoto do Japão" fosse vista atualmente sendo que houve outros piores nos últimos anos. Sempre é necessário ter um cuidado com questões como história, geografia, literatura ou até moda e cultura pop de um povo. Mas com relação de dublagem ou tradução, tente fazer algo a respeito! Mande e-mails pedindo cuidado com as adaptações a editoras ou agências de dublagem. Você é um fã e merece respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário